Deprecated: mysql_connect(): The mysql extension is deprecated and will be removed in the future: use mysqli or PDO instead in /home/polic396/public_html/bkp-pcia/admin/conectar.php on line 2
Sexta-Feira, 19 de Janeiro de 2018
CAPA
NOTÍCIAS
VÍDEOS
GALERIA DE FOTOS
CHAT
AGENDA
SOCIAL
QUEM SOMOS
ANUNCIE
CONTATO


Home Page
Favoritos

WhatsApp Policia e Cia
fb/policiaeciaoficial
@policiaecia
Envie torpedos SMS grátis
TV's Online

Rádios Online

Sites Úteis
Policia Rodov.Federal
Polícia Federal
Bombeiros MG
Polícia Militar MG
Polícia Civil MG
Detran MG
Tribunal de Justiça MG
Justiça Militar MG
Portal do MP
Consultar CEP
Consulta Veículos MG
Lista telefônica
Anteced. Criminais PC
Anteced. Criminais PF
Certidao Negativa Justiça Federal
Certidao Negativa Tribunal Eleitoral
Agência Brasil
Agência Minas
Cadastro Nacional de Veículos
Jornal O Tempo


Parceiros
Pascoal On Line
Matipó Vip
Universo Policial
Blog da Renata
Portal Caparaó
Mutum On Line
Ipanews - Ipanema
Jornal O Campeão
Manhuagito
Portal Vila Nova
Jornal Regional
Portal da Mata
Blog Willian Chaves
Comendador Fabricio
Lovantino
Blog do Cabo Júlio
Amigos de Caserna‏
Blog Debate Policial
Blog do Cabo Fernando
Matipo Web
TV Super Canal
Jornal de Bolso
Manhuaçu Noticia
Jornal o Combatente
Instituto Caminhar
Pontinhos de Minas
TV COM


Bookmark and Share

Colunistas
Rinotraqueite Viral Felina

Desenvolvido pela ArtePlus - www.arteplus.infoDr. Renata Miranda
Médica Veterinária
renatamiranda@superig.com.br

Médica Veterinária - CRMV MG 5343
Graduada pela UFMG
Especialista em Clínica Médica e Cirúrgia de Pequenos animais.



A Rinotraqueite Viral Felina é uma doença do trato respiratório superior de felinos, causada pelo herpesvirus felino 1 (HVF-1). O vírus é transmitido por contato direto e o período de incubação geralmente é curto.

É uma doença viral extremamente freqüente, que acomete os gatos domésticos e felídeos selvagens. A maioria dos gatos que se recuperam da infecção torna-se portadores assintomáticos, ou seja, o vírus fica incubado no organismo do felino de forma latente, podendo o vírus ser eliminado no ambiente, associado ou não a sinais clínicos.

Eventualmente, situações de estresse como cirurgia, doenças concomitantes, hospedagem e internação em clínicas são suficientes para que haja a replicação do vírus, ou seja, o animal volta a apresentar os sinais clínicos e sua disseminação.

Os sinais clínicos observados no animal são febre, espirros constantes, conjuntivite, rinite e salivação, o animal fica babando devido à presença de lesões ulcerativas (aftas) na boca, língua e lábios que causam muita dor e impedem o gato de comer. Há também presença de secreção catarral pelo nariz.

A doença pode ser fatal para filhotes e animais debilitados. O tratamento deve ser instituído logo aos primeiros sintomas, principalmente para aliviar a dor causada pelas aftas para que o gato não pare de se alimentar. A transmissão ocorre através do contato direto, principalmente das narinas. As macro-gotículas eliminadas no espirro são importantes fontes de transmissão do animal enfermo.

Gatas prenhas portadoras são eliminadoras do vírus provavelmente cinco a sete dias após o parto, devido ao estresse deste período. Por ser uma doença bastante freqüente em filhotes, é a causa de alto índice de mortalidade dos neonatos.

As opiniões expressas ou insinuadas neste site pertencem aos seus respectivos autores e não representam, necessariamente, as do site www.policiaecia.com.br ou de seus representantes.



A matéria foi acessada 6869 vezes.






Leia também:


Quem somos - Termos de Uso e Privacidade - Anuncie - Gerenciar
©2009-2018- Site Policiaecia.com.br - Todos os direitos reservados.
Arte Plus - Marcelo Ivanir