Deprecated: mysql_connect(): The mysql extension is deprecated and will be removed in the future: use mysqli or PDO instead in /home/polic396/public_html/bkp-pcia/admin/conectar.php on line 2
Sexta-Feira, 19 de Janeiro de 2018
CAPA
NOTÍCIAS
VÍDEOS
GALERIA DE FOTOS
CHAT
AGENDA
SOCIAL
QUEM SOMOS
ANUNCIE
CONTATO


Home Page
Favoritos

WhatsApp Policia e Cia
fb/policiaeciaoficial
@policiaecia
Envie torpedos SMS grátis
TV's Online

Rádios Online

Sites Úteis
Policia Rodov.Federal
Polícia Federal
Bombeiros MG
Polícia Militar MG
Polícia Civil MG
Detran MG
Tribunal de Justiça MG
Justiça Militar MG
Portal do MP
Consultar CEP
Consulta Veículos MG
Lista telefônica
Anteced. Criminais PC
Anteced. Criminais PF
Certidao Negativa Justiça Federal
Certidao Negativa Tribunal Eleitoral
Agência Brasil
Agência Minas
Cadastro Nacional de Veículos
Jornal O Tempo


Parceiros
Pascoal On Line
Matipó Vip
Universo Policial
Blog da Renata
Portal Caparaó
Mutum On Line
Ipanews - Ipanema
Jornal O Campeão
Manhuagito
Portal Vila Nova
Jornal Regional
Portal da Mata
Blog Willian Chaves
Comendador Fabricio
Lovantino
Blog do Cabo Júlio
Amigos de Caserna‏
Blog Debate Policial
Blog do Cabo Fernando
Matipo Web
TV Super Canal
Jornal de Bolso
Manhuaçu Noticia
Jornal o Combatente
Instituto Caminhar
Pontinhos de Minas
TV COM


Bookmark and Share

Colunistas
Animais com deficiências: cães surdos

Desenvolvido pela ArtePlus - www.arteplus.infoDr. Renata Miranda
Médica Veterinária
renatamiranda@superig.com.br

Médica Veterinária - CRMV MG 5343
Graduada pela UFMG
Especialista em Clínica Médica e Cirúrgia de Pequenos animais.



Deficiência auditiva ou surdez é a incapacidade parcial ou total da audição. Pode ser congênita ou adquirida. A surdez congênita é irreversível. E está, frequentemente, associada a alterações de pigmentação, tais como pelagem branca e olhos azuis.

Há 35 raças com probabilidade genética de surdez (boxer, cão das Montanhas dos Pirineus, etc.), porém, os dálmatas apresentam maior porcentagem: 30% dos dálmatas nascem surdos. (entre os gatos da raça persa, geralmente, a cor branca associada a olhos azuis está geneticamente relacionada a problemas de audição. Os gatos brancos com apenas um dos olhos azuis pode ser surdo de um ouvido, enquanto que os bichanos com ambos os olhos azuis podem ser totalmente surdos). Mas, todos os cães são passíveis de perder a audição, quer por doença, ferimento ou velhice.

Algumas formas de surdez são tratáveis: pêlo bloqueando o canal auditivo; excesso de cera; inflamação do canal auditivo; perfuração do tímpano; ambientes muito barulhentos; traumatismo craniano; envelhecimento.

Muitas pessoas rejeitam o cão surdo por acharem que é menos inteligente, temperamental, e que não será capaz de aprender comandos básicos. Nada mais distante da verdade! Um cão surdo é feliz se tem o amor de seu tutor – talvez, só necessite de um pouco mais de paciência para o adestramento.

Segundo Alexandre Rossi, zootecnista e comportamentalista animal: “Treine o comando “vem” com uma canetinha a laser. Ponha um petisco no chão, sem que o cão o veja, e movimente o pontinho vermelho de luz no sentido dele até a guloseima, que será o prêmio pelo cumprimento do trajeto.

Quando o cão tiver aprendido, faça o pontinho luminoso vir dele até você. Se ele vier junto, recompense-o. Nunca direcione o laser para os olhos do cão, pois isso pode comprometer a visão. Se o cão ficar muito agitado para “caçar” a luzinha, não faça movimentos bruscos nem muito rápidos. Para treinar o comando “não”, tenha à mão uma lanterna com luz branca.

Ponha um pedaço de carne num prato próximo ao cão. Quando ele vier abocanhá-lo, pisque a lanterna. Ao mesmo tempo, borrife a cara dele com água. O incômodo combinado com a frustração de não conseguir a comida, fará o cão associar as piscadas de lanterna a algo desagradável. Ele aprenderá que quando a lanterna pisca, deve interromper o que faz.

A comunicação gestual é fundamental: o cão aprenderá os gestos correspondentes às ordens que o tutor queira dar, às atividades, etc. O cão aprenderá a procurar sinais nas mãos e expressões faciais, assim como nos objetos, como a tigela da comida ou a guia. Chamar o cão pode ser um problema se ele se afastar demasiado. Portanto, fora de casa, ele deverá, SEMPRE, estar na guia.

Os gestos:
– para cada ordem o mesmo sinal deverá ser repetido;
– os sinais devem ser simples;
– os sinais devem ser facilmente reconhecíveis pelo cão, mesmo à distância;
– os sinais devem ser feitos usando-se apenas uma das mãos, para que o animal possa seguir com os olhos;
– os sinais devem ser aprendidos por todas as pessoas que lidam com o cão;
– há sinais de obediência padrão. O tutor pode aprendê- los numa escola de obediência e treino.

Sinais de possível surdez:
– coçar, frequentemente, as orelhas;
– dormir demais;
– latir, excessivamente, sem propósito;
– indiferença em relação a sons;
– desobediência aos chamados vocais:
– abanar, frequentemente, a cabeça;
– desatenção;
– não acordar quando é chamado;
– mau cheiro, proveniente dos ouvidos.

Exercício é sempre essencial. No entanto, um cão surdo não deve ser deixado nunca à solta, pois não ouve os chamados do tutor e pode fugir, além do que, não ouve os sons dos carros e pode ser atropelado. A guia é essencial, assim como uma etiqueta na coleira, com o nome do animal, telefone do tutor e menção à surdez.

Uma coleira de peito, em vez de uma de pescoço, anula a possibilidade de o cão, se assustado, recuar e a guia escapar pela cabeça.

Segundo a Federação Internacional “American Pitbull Terrier” Delegação Portuguesa, 10 dicas para lidar com um cão surdo:
– aprenda a comunicar–se com o seu cão;
– faça-o sempre saber que está por perto;
– seja sempre gentil;
– treine-o com muitas recompensas e encorajamento;
– permita que se aproxime de estranhos farejando primeiro as suas mãos;
– vede os espaços exteriores onde o cão vive - é essencial para a sua segurança;
– estabeleça um treino regular e contínuo;
– ame-o e aceite-o com as suas necessidades especiais;
– prenda-o a você dentro de casa (coleira umbilical), para o ajuste inicial, educação básica, relacionamento e segurança dele;
– nos passeios, mantenha-o sempre na guia e perto de você: dá segurança a ambos. Coloque uma etiqueta na coleira com seu nome. seu telefone e a palavra “SURDO”.

Todo cão requer alguns cuidados. O cão surdo, apenas mais um pouco de paciência. Você e seu cão poderão desfrutar de um convívio feliz – para ele, o que importa, é o amor que você lhe devota.

As opiniões expressas ou insinuadas neste site pertencem aos seus respectivos autores e não representam, necessariamente, as do site www.policiaecia.com.br ou de seus representantes.



A matéria foi acessada 7080 vezes.






Leia também:


Quem somos - Termos de Uso e Privacidade - Anuncie - Gerenciar
©2009-2018- Site Policiaecia.com.br - Todos os direitos reservados.
Arte Plus - Marcelo Ivanir